Jean Wyllys alerta para manobra de Eduardo Cunha na Câmara

"Intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara", destacou

O deputado Jean Wyllys (Psol-RJ) chamou a atenção nesta segunda-feira (27) para a possível intenção do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de quebrar o acordo de líderes e colocar em votação uma nova matéria sobre financiamento eleitoral. Na véspera, Cunha sofreu uma derrota com a derrubada da proposta do sistema eleitoral majoritário, o "distritão", e da proposta que transformava o financiamento de campanhas com doações privadas e pessoas físicas em norma constitucional. 

"Cunha e seus asseclas, derrotados na sua intenção de inscrever na Constituição a prática do financiamento de empresas às campanhas políticas, ainda não se deram por vencidos. Os rumores que correm pela Casa são de que provavelmente irão quebrar o acordo de líderes e colocar uma nova matéria em votação, ainda hoje", alerta o deputado.

De acordo com Jean Wyllys, a nova proposta permitiria a doação das empresas aos partidos e não às campanhas, o que na prática seria a mesma coisa. "A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara! Não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira!", continuou. "Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados."

Confira a íntegra da publicação de Jean Wyllys em rede social:

Cunha e seus asseclas, derrotados na sua intenção de inscrever na Constituição a prática do financiamento de empresas às campanhas políticas, ainda não se deram por vencidos. Os rumores que correm pela Casa são de que provavelmente irão quebrar o acordo de líderes e colocar uma nova matéria em votação, ainda hoje, com uma sutil diferença: permitir a doação destas empresas aos partidos - e não mais diretamente às campanhas -, o que, na prática, é basicamente a mesma coisa.

A intenção de reformar a política para reforçar suas mazelas está clara, e não podemos baixar nossas guardas, pois, como bem se vê, a prática é rasteira!

Precisamos ficar [email protected] também à eventual mudança de postura dos deputados - se votarem com Cunha hoje, caso ele consiga, de fato, colocar a matéria em pauta, é indício de que participaram de tenebrosas transações!

Fiquemos de olho!