Justiça ordena retorno de 80% da frota de ônibus em Curitiba

Parte dos motoristas e cobradores do transporte coletivo de Curitiba deve retornar ainda nesta terça-feira ao trabalho. A segunda audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), realizada na tarde de hoje, definiu que 80% dos funcionários devem voltar a operar os ônibus para restabelecer parcialmente o serviço. Este é o segundo dia de paralisação da categoria.

A greve foi motivada pelo não pagamento do adiantamento salarial no último dia 20, o que foi considerado a "gota d'água" para motoristas e cobradores, que já vinham sofrendo atrasos em pagamentos salariais nos últimos meses. As empresas alegaram que foram prejudicadas pela falta de repasses por parte do sistema de transporte coletivo. 

A dívida é referente ao valor do subsídio do governo do Estado para as linhas metropolitanas que fazem parte da Rede Integrada de Transporte, que contempla a Grande Curitiba. O valor chegaria a cerca de 16 milhões de reais. A Urbs - ligada à prefeitura de Curitiba - é a responsável pelo gerenciamento do sistema.

Na audiência de hoje, a Comec - órgão do governo do estado direcionado para as regiões metropolitanas - se comprometeu a repassar 5 milhões de reais até quinta-feira para o pagamento do adiantamento salarial, que está atrasado. Até lá, a frota deve circular em 80%. O restante da dívida deve ser parcelada.

Nesta terça-feira, apesar da existência de uma liminar para a retomada do serviço em 70% nos horários de pico, nenhum ônibus circulou pelo segundo dia seguido, afetando 2,2 milhões de usuários (média diária).