Embratur está 'enferrujada' e precisa ser reformatada, diz ministro do Turismo

O ministro do Turismo, Vinícius Lages, disse nesta quarta-feira (21) que o Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur) precisa ser "reformatado" nos próximos quatro anos. Segundo ele, a Embratur se tornou "uma autarquia enferrujada" por falta de articulação com outros setores.

"A Embratur é hoje uma agência de promoção do Brasil, uma autarquia, que está enferrujada na sua capacidade de cuidar da própria governança”, disse.

Conforme disse, a Embratur “não tem uma articulação com o [setor] privado, nem metas. O esforço, o investimento feito é incipiente".

Lages usou como exemplo a presença de servidores do instituto no exterior: "99% dos servidores da Embratur vivem no Brasil. Ela só tem 13 pessoas terceirizadas em alguns países. Quer dizer: a nossa presença é insignificante para um país continental que tem um potencial enorme e pode atingir números muito maiores".

Um dos pontos que precisa ser mudado, na visão do ministro, é a integração do planejamento turístico com outras plataformas de negócios, como a gastronomia ou a moda, promovendo o país de forma mais abrangente. "O turismo não pode mais atuar de forma isolada, promovendo apenas o turismo e não envolvendo outros negócios", disse.

Segundo o ministro, medidas necessárias para reformular a Embratur estão sendo discutidas. Acrescentou que as medidas devem se adequar aos ajustes orçamentários do governo federal.

O ministro do Turismo participou de uma reunião com o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, na manhã de hoje (21), para tratar da integração de ações visando aos Jogos Olímpicos de 2016.