Petrobras: ministro do STF manda soltar ex-diretor

Renato Duque foi preso no dia 14 de novembro durante a sétima fase da Operação Lava Jato

Nesta terça-feira, o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, mandou soltar o ex-diretor de Serviços da Petrobras Renato Duque. Ele foi preso em sua casa, no Rio de Janeiro, e conduzido para a superintendência da PF na capital fluminense no dia 14 de novembro durante a sétima fase da Operação Lava Jato. A decisão liminar de revogação de prisão preventiva foi confirmada ao Terra pelo STF. 

No dia da prisão de Duque foram cumpridos também outros 84 mandados judiciais: 5 de prisão preventiva, 21 de prisão temporária, 9 de condução coercitiva e 49 de busca e apreensão nos Estados do Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco e no Distrito Federal. Na mesma ocasião, a Justiça decretou o bloqueio de aproximadamente R$ 720 milhões em bens pertencentes a 36 investigados.

Os envolvidos devem responder pelos crimes de organização criminosa, formação de cartel, corrupção, fraude à Lei de Licitações e lavagem de dinheiro.