Costa confirma corrupção na Petrobras e Cerveró reafirma que não sabia de nada

“Eu desconhecia qualquer esquema de ilícito nas diretorias da Petrobras, como um todo”, afirmou Nestor Cerveró ao ser questionado pelo deputado Afonso Florence (PT-BA), que atua como relator na CPMI da Petrobras em substituição a Marco Maia (PT-RS), afastado para tratamento de saúde.

Já Paulo Roberto Costa reafirmou que tudo o que falou na delação premiada ao juiz Sérgio Moro, responsável pela condução da Lava Jato no âmbito da Justiça Federal no Paraná, está correto. “Não cheguei a declinar nomes, mas confirmo tudo que falei ao juiz Sérgio Moro". Paulo Roberto Costa denunciou um esquema de propina nas diretorias da estatal para beneficiar partidos políticos com 3% do valor dos contratos com empreiteiras. Cerveró, que comandava uma das diretorias citadas, negou saber e participar de corrupção na Petrobras.

O deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA) ressaltou que “os depoimentos estão diametralmente opostos, alguém está mentindo”. Já o deputado Carlos Sampaio (PSDB-SP) elogiou a postura de Costa. “Sou agradecido ao senhor Paulo Roberto por falar o que falou”.