Brasil recebe diploma da FAO por redução da fome

País cumpriu meta de reduzir pela metade o número de famintos

O diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), José Graziano da Silva, parabenizou o governo brasileiro e outros 12 países pelos progressos obtidos na luta contra a fome nos últimos anos, em cerimônia realizada neste domingo (30) na sede da entidade, em Roma.    

O Brasil foi representado pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, que recebeu o diploma que congratua o país por haver cumprido antecipadamente a meta estabelecida pela Cúpula Mundial da Alimentação de 1996, que previa a redução à metade do número absoluto de pessoas famintas até 2015.    

"É com orgulho que devo dizer que, no Brasil, nasceu a primeira geração de crianças livres da fome. Avançamos muito. Esse processo começou há 11 anos, com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, e a adoção do Fome Zero", afirmou a Ministra.    

"O Brasil conseguiu superar o problema da gerar riqueza sem distribui-la. Hoje, a ênfase em um processo de crescimento que gera distribuição levou o país para um outro caminho. O mundo todo olha hoje para o Brasil por conta dos programas e políticas públicas implementadas nos últimos anos em relação aos temas da segurança alimentar e nutricional. Tem sido uma de nossas prioridades na FAO levar estas experiências bem-sucedidas para o âmbito global". afirmou Graziano, que é brasileiro. Além do Brasil, foram agraciados pelo prêmio da FAO Camarões, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Irã, Kiribati, Malásia, Mauritânia, Maurício, México, Filipinas e Uruguai.