Tribunal nega pedido de Eike Batista para suspender processo

Empresário é acusado de ter manipulado mercado ao vender ações da petroleira OGX

O Tribunal Regional Federal (TRF) no Rio de Janeiro negou, na segunda-feira, o pedido de habeas corpus de Eike Batista para suspender uma ação contra o empresário, de acordo com informações publicadas pela Folha de S. Paulo. Eike é aguardado nesta terça-feira para a primeira audiência da ação penal da qual é réu por supostos crimes contra o mercado financeiro.

O empresário é acusado de “insider trading” (negociação com base em informação privilegiada) e manipulação de mercado. As penas previstas podem chegar a cinco e oito anos, respectivamente.

O processo tem como base uma denúncia apresentada pelo Ministério Público Federal no Rio em setembro. O empresário teria vendido ações da petroleira OGX em dois períodos de 2013 antes da divulgação de informações negativas ao mercado.