PR: adolescente de 14 anos morre baleada após final da Copa do Brasil

Uma adolescente de 14 anos morreu na madruga desta quinta-feira, em Curitiba, depois de ser baleada na cabeça em frente de sua casa, na rua Corbélia, bairro Alto Tarumã, na cidade de Pinhais (PR). Segundo a Polícia Civil, a menina foi atingida pelo disparo feito por um vizinho, que se envolveu em uma briga em um bar, logo após o fim do jogo entre Flamengo e Atlético Paranaense, na final da Copa do Brasil. 

De acordo com a Polícia Militar, Luane Cordeiro foi baleada por volta das 23h50. A jovem foi encaminhada ao hospital Cajuru, na capital paranaense, mas não resistiu aos ferimentos e morreu nesta madrugada. Por conta da morte da menina, populares tentaram invadir e queimar a casa do suspeito, e precisaram ser contidos pela PM. 

Segundo o delegado titular da Delegacia de Polícia de Pinhais, Marcelo Magalhães Pereira, Luane foi atingida por um disparo feito por Jocemar Jednoralski, 34 anos. De acordo com testemunhas ouvidas pela polícia, o tiro foi dado depois que o suspeito se envolveu, junto a um grupo de amigos, em uma briga, logo após o final do jogo entre Flamengo e Atlético Paranaense. 

A briga começou, segundo a polícia, após uma discussão entre um amigo do suspeito e uma mulher, logo após o final da partida. Jocemar interviu na discussão e quase foi agredido pelo marido da mulher. 

Após quase ser agredido, Jocemar foi até a sua casa, que fica na mesma rua do bar e da residência de Luane, e buscou um revólver calibre 38. Ele então voltou ao local, discutiu novamente com o marido da mulher envolvida na discussão e efetuou dois disparos, um para o chão e outro para o lado.  “Ainda estamos apurando se (a discussão) começou por causa disso (o jogo). Não descartamos nenhuma hipótese. Ainda não há confirmação, mas, ao que tudo indica, realmente pode ter havido uma provocação, uma brincadeira, que terminou nisso”, disse o delegado. 

Após disparar os dois tiros, Jocemar foi para sua casa, onde, segundo o delegado, foi desarmado por seu irmão, Ronaldo Jednoralski, 21 anos. Acionada, a Polícia Militar localizou o suspeito em sua residência e o levou, junto de seu irmão, à delegacia. 

Apesar de ter sido encaminhada à DP, Ronaldo foi ouvido na delegacia e liberado. Segundo Pereira, sua participação no crime está descartada. “Ele deu um depoimento importante. Ele estava em casa, dormindo, e foi para o bar depois que o avisaram que o Jocemar estava em uma briga. Ele mesmo confirma que ele (Jocemar) deu os tiros”, disse o delegado. 

Jocemar foi indiciado por homicídio doloso qualificado, já que, segundo o delegado, o crime teve motivação fútil. “Quem dá dois tiros em um local cheio de casas, cheio de pessoas, assume um risco”, disse Pereira. 

A polícia ainda tenta localizar as pessoas que participaram da confusão no bar na noite de ontem. A investigação apura ainda se Jocemar tentou atingir ou apenas assustar os envolvidos na discussão com os tiros e qual o motivo da discussão.