Justiça de SP quer conciliação entre USP e alunos que ocupam reitoria

A Justiça paulista decidiu nesta quinta-feira, após analisar pedido de reintegração de posse dos prédios administrativos da Universidade de São Paulo (USP), marcar uma audiência de conciliação entre a reitoria da instituição e os alunos que ocupam o local desde terça-feira.

A reintegração de posse havia sido solicitada pela reitoria na tarde de ontem. Na decisão, o juiz Marcos Pimentel Tamassia disse que a questão é delicada e que parece não representar um caso clássico de reintegração. "Pode se assemelhar a um ato de manifestação, muito embora diga a universidade que não está sendo realizado de forma pacífica e ordeira, o que de fato é bem preocupante". 

A audiência de conciliação foi marcada para o dia 8 de outubro, a partir das 14h30, na 12ª Vara da Fazenda Pública.


Ocupação da reitoria

Cerca de 400 estudantes ocuparam o prédio reitoria durante a tarde de terça-feira, reivindicando que as eleições para reitor, previstas para o fim do mês, sejam diretas. Os alunos também cobram paridade entre eleitores na escolha do reitor, que atualmente ocorre por meio de colégios eleitorais - representados majoritariamente por professores titulares.

O grupo de estudantes decidiu pela permanência no prédio por tempo indeterminado e também por fazer uma greve geral.