Em vídeo, Marina defende o Rede para "democratizar democracia"

Ex-senadora espera que Justiça "repare as falhas dos cartórios"

A ex-senadora Marina Silva divulgou um vídeo na noite de quarta-feira (2) no qual afirma que seu novo partido, o Rede Sustentabilidade, deve ser criado para "democratizar a democracia".

Nesta quinta-feira (3), o Tribunal Superior Eleitoral  (TSE) decide se concede o registro para o novo partido. Será a última sessão antes do prazo final para filiação partidária para as eleições do ano que vem.

De acordo com recentes pesquisas de intenção de voto para eleições presidenciais, Marina Silva aparece em segundo lugar, atrás de Dilma Rousseff. Em 2010, a ex-senadora terminou em terceiro lugar, com quase 20 milhões de votos.

No vídeo, Marina Silva se diz confiante de que o TSE "reparará o erro" dos cartórios eleitorais que, segundo ela, invalidaram sem justificativa 95 mil assinaturas de apoio à Rede.

"Encaminhamos 668 mil (assinaturas) para os cartórios que, infelizmente por falta de estrutura, não foram capazes de responder dentro dos prazos as validações das assinaturas. A falta de parâmetro fez com que boa parte dessas assinaturas fossem invalidadas. A Rede Sustentabilidade encaminhou para o TSE o pedido de validação dessas assinaturas para que a própria Justiça repare essa falha dos cartórios", disse.

A Rede já apresentou 440 mil assinaturas validadas ao TSE. São necessárias 492 mil assinaturas para a obtenção do registro.