Chacina em SP: imagens reforçam suspeitas sobre menino, diz polícia

As imagens das câmeras de segurança da escola Stella Rodrigues reforçam as suspeitas da investigação sobre o menino de 13 anos que foi encontrado morto junto aos pais, à avó e à tia-avó na noite de segunda-feira, na casa da família, no bairro de Brasilândia, zona norte de São Paulo. 

O coronel Benedito Roberto Meira, da Polícia Militar, afirmou que os vídeos gravados pelas câmeras mostram o carro de Andreia Regina Bovo Pesseghini, 35 anos, sendo estacionado em frente ao colégio por volta da 1h15 da madrugada de segunda-feira. Porém, a pessoa que estava dentro do veículo só desembarca às 6h30 - o indivíduo usa uma mochila e tem altura compatível à do garoto, Marcelo Eduardo Bovo Pesseghini.

De acordo com o coronel Meira, a pessoa sai do carro e caminha em direção à escola, mas as imagens não mostram se ela entra no prédio. Na noite de ontem, a polícia encontrou cinco os corpos na casa da família: do menino Marcelo, de Andreia - que era cabo da PM -, do marido dela, Luis Marcelo Pesseghini, 40 anos - que era sargento da Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) da PM -, da mãe de Andreia, Benedita Oliveira Bovo, 65 anos, e da irmã de Benedita, Bernardete Oliveira da Silva, 55 anos.