Caso Mércia: testemunha falta e defesa pode pedir anulação de júri

Uma testemunha que seria ouvida nesta segunda-feira, no julgamento do vigia Evandro Bezerra da Silva - suspeito de ser cúmplice de Mizael Bispo no assassinato de Mércia Nakashima em maio de 2010 -, faltou à audiência desta segunda-feira, no Fórum de Guarulhos (SP). A testemunha "alfa", como vem sendo chamada porque é protegida pela Justiça, já foi encontrada pelo cartório e intimada novamente. Se ela não comparecer ao Fórum até quarta-feira, a defesa de Evandro deve pedir a anulação do julgamento.

?Na época do crime, a testemunha alfa afirmou à Polícia Civil que teria visto Mizael e Mércia em uma praça de pedágio no dia 26 de maio de 2010 - três dias depois da morte da advogada, segundo o laudo da perícia. 

O advogado de defesa do réu, Aryldo de Oliveira de Paulo, afirmou que, caso a testemunha não se apresente, ele pedirá que o julgamento seja anulado. Segundo o defensor, o depoimento dessa pessoa é de suma importância ao caso.

Ao todo, 10 testemunhas serão ouvidas no julgamento, que deverá se estender até quarta-feira.

O caso

A advogada Mércia Nakashima desapareceu no dia 23 de maio de 2010, após deixar a casa dos avós em Guarulhos, e foi encontrada morta no dia 11 de junho, em uma represa em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. A perícia apontou que ela foi ferida a tiros, mas morreu por afogamento quando seu carro foi empurrado para a água.

Ex-namorado de Mércia, o policial militar reformado e advogado Mizael Bispo de Souza, 43 anos, foi apontado como principal suspeito pelo crime e denunciado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emprego de meio cruel e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima). Em 14 de março deste ano, Mizael foi condenado a 20 anos de prisão pela morte de Mércia.