Protesto em SP acaba em vandalismo e bancos são alvos

Um grupo de cerca de 300 pessoas interditou totalmente a avenida Paulista no início da noite desta sexta-feira em um protesto contra políticos brasileiros. Segundo a Polícia Militar, a manifestação começou por volta das 18h.

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), a avenida Paulista chegou a ficar interditada nos dois sentidos por cerca de 20 minutos, das 19h às 19h20. Após a liberação do sentido Consolação, dois grupos seguiam pelo sentido Paraíso.

Conforme mostrado pelo grupo Mídia Ninja, que transmite em tempo real o protesto, a manifestação foi marcada por atos de vandalismo. Ao menos duas agências do banco Itaú, uma do Bradesco e uma do Banco do Brasil foram danificadas. 

Quando o grupo atravessou a avenida Paulista e chegou a avenida 23 de Maio, o trânsito foi interditado por manifestantes. Um veículo da TV Record foi alvo de atos de vandalismo e quase foi incendiado.

O protesto é em solidariedade aos manifestantes do Rio de Janeiro e pede a saída do governador fluminense Sergio Cabral (PMDB). 

Os manifestantes levam cartazes e faixas com críticas ao governo do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e à violência policial registrada recentemente no Leblon, bairro da zona sul carioca. O movimento não identifica líderes, mas diz ser contrário à violência policial na capital fluminense.

Os atos de vandalismo promovidos por um grupo de mascarados foram condenados por parte dos manifestantes que defendem o protesto sem violência. Eles gritavam pedindo uma manifestação sem vandalismo e os baderneiros respondem: “Sem moralismo”.

Segundo a PM, até as 19h50 ninguém havia sido detido e não havia registro de confronto entre policiais e manifestantes.