Frio causa mortes e danos no sul do país

O frio pode ter causado a morte de oito pessoas no sul do país. Em Santa Catarina, as mortes de três homens estão sendo investigadas: a de um homem, 51 anos, em Biguaçu; um em Joinville; e a terceira em Criciúma.

“Nós acreditamos que o frio tenha influenciado na morte, mas não confirmamos. O laudo do Instituto Médico-Legal só sairá daqui a 30 dias”, disse o major Aldo Batista Neto, da Secretaria Estadual da Defesa Civil. De segunda-feira (22) a quinta-feira (25), a neve atingiu 103 municípios, de acordo com o levantamento do Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina (Ciram).

Para o meteorologista do Ciram, Marcelo Martins, a neve no estado foi uma “situação histórica, porque o fenômeno é comum no estado, mas não de forma tão ampla e de frio extremo, onde em todas as cidades foram registradas temperaturas abaixo de zero grau Celsius (ºC)”. Segundo ele, o frio deve continuar, porém as temperaturas devem ficar mais amenas a partir de hoje.

A densa e forte massa polar que atinge o estado provocou prejuízos, como desabamentos, destruição de muros de casas, de escolas e postos de gasolina, falta de energia elétrica e problemas na agricultura.

No Rio Grande do Sul, foram registradas cinco mortes desde domingo, que podem estar relacionadas ao frio extremo. Segundo o major Ben Hur Pereira da Silva, da Defesa Civil, duas mortes foram confirmadas em consequência das baixas temperaturas - uma em Panambi e outra em Sinimbu, ambas por hipotermia (quando há redução drástica da temperatura corporal). As demais mortes estão sob investigação.

A Defesa Civil estadual está recolhendo cobertores e alimentos para serem doados a moradores de rua e a famílias pobres, além de levar pessoas que vivem nas ruas para albergues e abrigos.

Segundo o tenente Lucas Frates Simiano, da Defesa Civil do Paraná, o frio e a geada afetaram seis municípios até o momento, causando prejuízos à agricultura. Não foram registradas mortes.