Senadores pedem resposta rápida para o bloqueio de rodovias pelos caminhoneiros

Em reunião nesta quinta-feira (4) na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA), vários senadores apontaram prejuízos para o agronegócio com as ações de caminhoneiros, que, em greve, bloqueiam rodovias em vários estados desde a última segunda-feira (1º). Os parlamentares pediram solução rápida para o problema.

Mesmo considerando justo o movimento, que reivindica redução no valor dos pedágios e no preço do diesel, o senador Acir Gurgacz (PDT-RO) e a senadora Ana Amélia (PP-RS) disseram que os bloqueios impedem a entrega de animais para abate e de produtos perecíveis, resultando em prejuízos para agricultores e agroindústrias.

"Os produtores não estão conseguindo entregar o leite e animais como frango e suínos para o abate. O governo deve agir rapidamente. Os agricultores estão tendo prejuízo, pois não conseguem entregar seu produto e obter sua renda, e as agroindústrias também têm prejuízos, pois não conseguem trabalhar", disse Acir Gurgacz.

Além de produtores e agroindústrias, Ana Amélia lembrou que os bloqueios também afetam o fornecimento de alimentos nas cidades e causam elevação do preço de produtos como legumes e verduras, por conta das perdas decorrentes dos atrasos no transporte.

"O distribuidor vai pagar essa conta, pelas perdas por serem produtos perecíveis, e vai repassar ao consumidor. Vamos ter também um impacto sobre a inflação", alertou Ana Amélia. Sem entrar no mérito das mobilizações, a parlamentar repudiou os atos de violência e vandalismo registrados em seu estado.

Para o senador Rubem Figueiró (PSDB-MS), as manifestações são justas, uma vez que os caminhoneiros não conseguem arcar com os altos custos do transporte. Para o parlamentar, o governo, ao invés de reprimir e ameaçar manifestantes, deveria ouvir as demandas dos caminhoneiros.

"A posição do governo deveria ser a mesma que tem mantido com outros setores que se manifestam, deveria conhecer as razões da sua revolta, da sua paralisação e resolver o problema, da forma mais razoável possível", disse.

Já Sérgio Souza (PMDB-PR) apontou deficiências da infraestrutura de transporte como causa dos altos custos para o escoamento da safra agrícola e um dos limitantes ao avanço das atividades produtivas. Conforme observou, o país sofre as consequências da falta de investimentos em ferrovias, resultando em grande dependência do transporte rodoviário.

"Tínhamos mais ferrovias no tempo do Barão de Mauá do que temos hoje", disse Sérgio Souza. Para ele, as deficiências de infraestrutura reduzem a competitividade do produto brasileiro.

Agência Senado