MG: deputados querem grade em viaduto de onde caiu manifestante

A Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) aprovou nesta segunda-feira o encaminhamento de um requerimento para que a prefeitura de Belo Horizonte e a Secretaria de Estado Extraordinária da Copa do Mundo instalem grades no viaduto José Alencar, na Pampulha, de onde o metalúrgico Douglas Henrique de Oliveira, 21 anos, caiu e morreu, durante um protesto, no último dia 26. 

Além da medida, os parlamentares também aprovaram um pedido para que a Polícia Civil e o Ministério Público investiguem e prendam as pessoas que praticaram atos de vandalismo durante a manifestação do último dia 26. 

?Segundo o superintendente-geral de Investigação da Polícia Civil, Jeferson Botelho Pereira, 141 pessoas foram conduzidas à delegacia nos dias 17, 22 e 26 de junho, datas dos jogos da Copa das Confederações no Mineirão em que houveram manifestações no entorno do estádio.

Dos detidos, 45 foram presos em flagrante. A juíza da Vara da Infância e Juventude de Belo Horizonte, Valéria Rodrigues, informou ainda que ao menos cinco adolescentes foram apreendidos.

Para o defensor público dos Direitos Humanos, Lucas de Simões, os excessos cometidos por manifestantes e também pela polícia precisam ser apurados. Ele citou a possível participação de um grupo organizado, intitulado Black Block, como responsável por atos de vandalismo.

O deputado Rogério Correia (PT) pediu também que seja apurada a presença de bandidos infiltrados, pessoas pagas para promover quebradeiras e até mesmo dos chamados P2, policiais secretos da Polícia Militar.