Joaquim Barbosa ficou"lisonjeado" com pesquisas para a sucessão de Dilma

O ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal disse, nesta segunda-feira, estar “lisonjeado, é claro”, com os resultados de pesquisa da ‘Datafolha” na qual o seu nome aparece com 13% e 15% , em cenários distintos, na preferência dos eleitores para a sucessão da presidente Dilma Rousseff.

A resposta foi dada, por insistência dos repórteres, ao fim da última 
sessão plenária  do semestre da corte, por ele convocada, mas que acabou não se realizando por falta de quorum. 

Além de Barbosa, estavam no plenário, apenas, os ministros Gilmar Mendes, Cármen Lúcia, Rosa Weber e Luiz Fux.

A ministra Cármen Lúcia – que é presidente do Tribunal Superior Eleitoral – foi também abordada pelos repórteres sobre a possibilidade da convocação de um plebiscito sobre reforma política antes de 1º de outubro próximo (um ano antes das eleições gerais de 2014). Ela limitou-se a responder: 

“A Justiça eleitoral está sempre preparada”.

Para que eventuais mudanças das regras eleitorais vigorem em 2014 – como as relativas ao financiamento das campanhas e ao voto facultativo – é preciso que o Congresso aprove leis específicas até o dia 1º de outubro, com base nos resultados do plebiscito.