Câmara aprova criação de três órgãos no Ministério da Ciência e Tecnologia 

A Câmara dos Deputados aprovou nesta sexta-feira (28) a criação de três órgãos na estrutura do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI): o Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste, o Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal e o Instituto Nacional de Água. O Projeto de Lei 7437/10 foi aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania em caráter conclusivo. Agora, o projeto será encaminhada ao Senado Federal.

Também foram criados 83 cargos comissionados. Eles deverão atender, além das unidades de pesquisa criadas pelo texto, ao Instituto Nacional do Semiárido, ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais e ao Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal.

O Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste fará ações para o desenvolvimento econômico e social da região. O centro deve identificar as oportunidades e as necessidades locais, regionais e nacionais e incentivar pesquisas na área.

O Instituto Nacional de Pesquisa do Pantanal deverá integrar e articular as ações já em andamento na região, além de propiciar o desenvolvimento de modelos e bancos de dados sobre o biossistema.

O Instituto Nacional de Águas deve implementar ações inovadoras na área de meio ambiente, com foco na preservação. Além de estimular o conhecimento em novas tecnologias e na utilização racional dos recursos hídricos.

Outra medida que está na proposta é que o Museu de Biologia Professor Mello Leitão do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) passe a se chamar Instituto Nacional da Mata Atlântica e passe a integrar o MCTI. O museu fica em Santa Teresa, no Espírito Santo, e foi fundado em 1949 pelo naturalista Augusto Ruschi (1915-1986) – agraciado em 1994 pelo Congresso com o título de Patrono da Ecologia do Brasil.