Bandidos matam médico e jogam dois reféns do alto de ponte em SP

Bandidos mataram um médico e tentaram fugir com o corpo da vítima na madrugada desta quarta-feira, em uma fazenda na zona rural de General Salgado, na região de Araçatuba (SP). Outras três pessoas foram feitas reféns, duas delas jogadas em um rio do alto de uma ponte, a uma altura de 15 metros. O oftalmologista Hedilon Basilio Silveira Junior, 50 anos, foi assassinado com um tiro no peito e golpes de foice. A polícia procura a quadrilha, que seria formada por quatro ou cinco pessoas, entre elas uma mulher.

De acordo com as informações da polícia, Silveira chegou à fazenda por volta das 21h30, acompanhado de um amigo. Ele teria achado estranho que a porteira estivesse aberta, mas mesmo assim decidiu entrar. Ao chegar perto da casa da sede, foi rendido por três pessoas, uma delas mascarada. Os bandidos já tinham feito reféns o caseiro, Luciano Gonçalves Leite, 36 anos, e um funcionário da propriedade, o aposentado Francisco da Rocha, 71 anos. De acordo com a polícia, o médico levou um tiro no peito e vários golpes de foice na cabeça. O homicídio teria ocorrido por volta da 1h desta quarta-feira.

Os bandidos teriam fugido em uma caminhonete e um Chevrolet Astra. O corpo do médico foi jogado na carroceria da caminhonete, que também levava um dos reféns. A caminhonete teria seguido em direção ao município de Auriflama, mas na entrada da cidade o motorista, que aparentava estar bêbado e fazia consumo de cocaína, decidiu parar e descer do veículo. Foi quando o refém assumiu a direção e fugiu com a caminhonete, só parando na base da Polícia Militar Rodoviária na rodovia estadual Feliciando Sales Cunha (SP-310), em General Salgado, onde denunciou o crime.

De acordo com os policiais, a caminhonete com o corpo da vítima permaneceu por quase toda a madrugada na base da polícia, à espera de peritos. O refém, que seria amigo do médico e trabalha de metalúrgico em Votuporanga, também chegou a ser ferido no ataque. Passou por atendimento médico no pronto-socorro de General Salgado e foi levado para prestar depoimento na delegacia da cidade.

No Astra estavam outros dois reféns, Francisco e Luciano. Os dois foram jogados no Córrego das Cruzes, sendo encontrados na manhã desta quarta-feira. Segundo a polícia, os dois estavam na propriedade a trabalho, mas foram rendidos e amarrados e levados no Astra até o Córrego das Cruzes, na zona rural de Santo Antônio do Aracanguá, cidade próxima a General Salgado. Lá, as vítimas foram jogadas no rio.

Rocha conseguiu se salvar ao se agarrar em galhos e troncos de árvores que estavam na água. Ele foi localizado pela PM por volta das 3h, nas imediações do córrego. Já Luciano Leite conseguiu nadar até a margem, ficou desaparecido por toda a madrugada e só foi localizado às 4h40 em uma propriedade rural onde foi pedir abrigo. Os dois passaram por atendimento médico e prestaram depoimento na delegacia de Aracanguá, onde foi registrada ocorrência de dupla tentativa de homicídio.

A polícia suspeita de que o homicídio possa ter sido causado por uma briga sobre uma suposta dívida pelo arrendamento da fazenda. Isso porque, nos últimos seis meses, cinco ocorrências de brigas entre o médico e os donos da fazenda teriam sido registradas. Um parente dos donos da propriedade foi detido, mas sua participação no crime não tinha sido confirmada até o final da tarde.