Presidente da Câmara recusa ideia de convocar constituinte

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), afirmou nesta terça-feira que a Casa recusa a ideia de convocar uma assembleia constituinte para propor uma reforma política, uma das propostas da presidente Dilma Rousseff anunciada nessa segunda após reunião com prefeitos e governadores. Para Alves, a convocação de um grupo para elaborar as reformas atrasaria um trabalho que já está sendo feito pela Câmara.

“Essa Casa recusa a ideia da constituinte específica sobre a reforma política porque entende que isso apenas retardaria uma reforma que essa Casa tem a obrigação de fazer. Queremos votar reforma política e até assumo um pouco da responsabilidade de não ter votado ainda. Eu pautei em abril e me frustrei porque não consegui votar, mas agora temos que encarar essa questão”, disse o presidente da Câmara.

Alves negou que a presidente tenha recuado da ideia de convocar uma constituinte. Segundo ele, no discurso de ontem, Dilma apenas sugeriu um debate para convocar um plebiscito. “Ela falou propondo um debate. Você leu diferente do que eu li, ela propôs um debate a respeito de uma constituinte específica. Ela coloca no início da frase (do pronunciamento) um debate a respeito de tal possibilidade”, justificou.