Manifestantes encerram protesto na Zona Sul de SP após encontro com Alckmin

Depois de cinco horas de caminhada sob chuva, terminou a manifestação com moradores da periferia da Zona Sul da capital paulista. Os cerca de mil participantes se dispersaram próximo ao Terminal de Ônibus João Dias. Durante a passeata, eles chegaram a interditar a Avenida Carlos Caldeira Filho, a estrada do Campo Limpo e a Ponte João Dias, vias que já foram liberadas para o trânsito.

Os organizadores da manifestação consideraram satisfatória a reunião entre os líderes dos movimentos sociais com o governador do estado, Geraldo Alckmin. “Foi um fato histórico, pois foi a primeira vez que o governador nos recebeu, desde o início do governo dele”, disse Natália Szermeta, representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST). Para ela, o fato de ele ter recebido o grupo e a pauta do movimento é positivo, "mas é preciso mais".

Um dos representantes do MTST em São Paulo, Guilherme Simões, será recebido também, na tarde de hoje, pela presidenta Dilma Rousseff.  A reunião terá a presença da líderes de movimentos urbanos e está marcada para as 16h30, em Brasília.

De acordo com os organizadores da manifestação desta terça-feira em São Paulo, o objetivo inicial era chegar até o Palácio dos Bandeirantes, mas houve mudança de planos em virtude da caminhada longa e da chuva.