Manifestantes em "guerra" do lado de fora superam público do Mineirão

Se do lado de dentro do Mineirão a festa foi bonita para a vitória do México por 2 a 1 contra o Japão, em jogo que não valia mais classificação pelo Grupo A da Copa das Confederações, o mesmo não se pode dizer do lado de fora. Mais de 60 mil pessoas foram protestar nos arredores do estádio, superando o público de 52.190 que comprou ingressos para o jogo, e acabaram protagonizando cenas de guerra com a polícia.

De acordo com a PM, 22 pessoas foram presas após confronto que se seguiram a protesto ocorrido na região da Lagoa da Pampulha, onde 60 mil pessoas vieram em passeata que saiu da Praça Sete. Ainda segundo estimativas, outros 65 mil manifestantes protestaram pela cidade e pararam a capital mineira neste sábado.

Perto do Mineirão, a Pampulha virou zona de guerra. Aproximadamente 500 manifestantes impedidos de se aproximarem do Mineirão atiraram dezenas de pedras e bombas caseiras contra a polícia, que revidou com tiros de borracha e bombas de gás lacrimogêneo.

Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas na manifestação - cinco populares, cinco policiais, três fotógrafos e uma jornalista. Após meia hora de conflitos, a polícia conseguiu dispersar a multidão e a minoria de vândalos que estragou o protesto até então pacífico. Lojas foram saqueadas e destruídas na região e em toda a cidade mineira.

Enquanto isso, no Mineirão, o México venceu o Japão por 2 a 1, com dois gols de Chicharito. Mas os protestos também ocorreram na parte de dentro do estádio, já que torcedores foram impedidos de entrar com cartazes. Uma dupla chegou até a quase ser banida pela organização após mostrar cartolina com dizeres em favor das manifestações.?