Jovem morto em protestos era 'sossegado', diz empresa de SP

Marcos Delefrate trabalhava como mecânico há cerca de 1 ano na Scania, em Ribeirão Preto

O mecânico de manutenção de máquinas agrícolas e veículos pesados Marcos Delefrate, 18 anos - primeira vítima dos protestos que vêm sacudindo o país nos últimos dias -, era um menino "sossegado e tímido", segundo os colegas que conviveram com ele na empresa Scania, em Ribeirão Preto (SP).

Delefrate morreu atropelado quando uma caminhonete avançou e atingiu 12 pessoas durante a manifestação da noite de quinta-feira na cidade, que mobilizou 20 mil pessoas. Ele chegou a ser socorrido pelo Samu, mas não resistiu.

"Morreu como herói, nas ruas, lutando por um país melhor. Eu conversava com ele, fazia um curso de automação e seu sonho era cursar engenharia mecânica. Me disse também que assim que tirasse sua carteira de habilitação, iria vir pro Mato Grosso conhecer os Delefrates do interior. Fique em paz Markin, e a família, meus sentimentos", afirmou o primo dele, Juliano Dellefrate.