Faltou negociação entre polícia e manifestantes em Salvador, diz OAB  

"Foi um dia histórico, mas um dia negativo". Este foi o resumo do vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) da Bahia, Eduardo Rodrigues, sobre o que aconteceu nesta quinta-feira, em Salvador. Policiais e manifestantes entraram em conflito perto da Arena Fonte Nova, antes do jogo entre Uruguai e Nigéria, o que gerou um cenário de guerra na região. De acordo com a avaliação da OAB, todo o problema aconteceu por falta de negociação entre as duas partes.

"Estamos lamentando o ocorrido. Queríamos que fosse como da outra vez, pacífico, mas infelizmente estamos vivenciando essa manifestação, essa confusão. Teve invasão da proteção da Fifa, mas achamos que faltou negociação para o protesto continuar, seja aqui (perto do estádio), seja em outro lugar", analisou.

Eduardo disse que foi até o local do confronto para ajudar a OAB a assegurar a livre manifestação da população baiana e também o direito de ir e vir de todos. "Precisamos entender que não é manifestante contra policiais. O policial também é cidadão, como nós, então temos que deixar claro que não existe essa dicotomia", pediu.

Além disso, Eduardo disse que provavelmente vão acontecer novos protestos em Salvador, principalmente antes do jogo entre Brasil e Itália, mas sustentou o otimismo de que desta vez não aconteçará violência. "Nós estamos na expectativa para que não seja igual. Esperamos que não exista de novo esse conflito", concluiu.