Três protestos ocorrem na Grande São Paulo pela redução das tarifas

Três protestos ocorrem simultaneamente na Grande São Paulo nesta quarta-feira pela redução da tarifa do transporte público. 

Na região de Taboão da Serra, a rodovia Régis Bittencourt, principal ligação entre o Sul e o Sudeste do país, foi interditada nos dois sentidos por volta das 9h30, na altura do km 270. A Autopista, concessionária que administra a rodovia, informou que, por volta das 9h45 havia três quilômetros de congestionamento no sentido São Paulo. Os manifestantes tinham saído em passeata da avenida Francisco Morato, na zona sul da cidade de São Paulo e tomaram as pistas da estrada formando uma barreira.

Na capital, o protesto ocorre na região de M' Boi Mirim e na avenida Guarapiranga, na zona sul da cidade. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) recomenda que os motoristas e usuários evitem a área. A movimentação dos manifestantes começou por volta das 7h e, por volta das 10h, eles interditavam totalmente a Estrada do M´Boi Mirim junto à avenida Guarapiranga.

Segundo o coordenador da Periferia Ativa, Gilson Alves Garcia, a pauta de reivindicação é ampla. Eles pedem, além da diminuição da tarifa, a duplicação da avenida M' Boi Mirim, a extensão do metrô até os bairros da periferia e melhoria das condições do transporte coletivo

Representante do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Gilson Simões disse que a população da periferia é a que mais sofre com o aumento da tarifa e com as más condições dos transportes. Os representantes dos movimentos pedem uma reunião com o secretário dos transportes, Gilmar Tato, ainda hoje na subprefeitura de M' Boi Mirim. 

E o o tráfego de veículos na Via Anchieta foi liberado por volta das 9h depois de ter sido interditado por cerca de duas horas em razão do protesto de um grupo do Movimento de Sem Teto de São Bernardo do Campo. Os manifestantes bloquearam as pistas no sentido São Paulo, na altura do quilômetro (km) 23, para engrossar a onda de manifestações que tem ocorrido no país contra o aumento da tarifa do transporte público urbano.

Segundo a Ecovias, que administra o sistema Anchieta-Imigrantes, meia hora depois ainda havia uma fila de veículos por 2 quilômetros – do 25 ao 23. Durante o protesto, os sem teto colocaram pneus nas pistas e atearam fogo, impedindo o tráfego de veículos rumo à capital paulista. A retenção não chegou a ser um grande transtorno porque foi feito um desvio para o acesso à Rodovia dos Imigrantes.

Da Anchieta, os manifestantes seguiram em direção ao Paço Municipal, onde fazem um protesto neste momento.