Protesto em SP terá creche e wi-fi compartilhado

Em antecipação ao novo protesto contra o aumento das passagens na cidade de São Paulo, manifestantes estão se organizando para facilitar a vida das pessoas que participarão do ato marcado para as 17h. Entre as ações anunciadas nas rede sociais está a possibilidade de mães deixarem seus filhos em creches e um pedido para que apoiadores do ato compartilhem o acesso a internet wi-fi.

Os movimentos feministas FemMaterna e LuluzinhaCamp estão convocando uma aglomeração antecipada para as mulheres que irão participar do ato. As entidades marcaram um encontro para as 16h - uma hora antes do início do ato marcado para o Largo da Batata -, em frente à loja Fnac da rua Pedroso de Moraes, e pedem que as ativistas se identifiquem com uma peça de roupa vermelha. Os grupos afirmam que vão disponibilizar uma ponto de apoio creche para as mães que não tiverem com quem deixar seus filhos durante o ato. 

Também foi criado um mapa colaborativo para que manifestantes ou pessoas que apoiem o ato ajudem a indicar informações sobre locais e acontecimentos importantes para o transcorrer da manifestação. O mapa, cuja atualização pode ser feita por qualquer usuário de internet, pendendo moderação, também abre a possibilidade para informações sobre atos em outras cidades do Estado e do País. 

Outra ação que ganha força nas redes sociais é um pedido para que moradores das áreas pelas quais passarão os manifestantes retirem a necessidade de senhas e deixem liberado o acesso a redes de internet wi-fi durante a realização do ato.