Presidente do Congresso reconhece legitimidade de protestos

Brasília - A manifestação na área externa do Palácio do Congresso Nacional levou o presidente do Poder Legislativo, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), a divulgar nota à população em que reconhece a legitimidade das reivindicações. Renan diz no texto que deu ordens à Polícia Legislativa para que não use de “violência, mantendo apenas a ordem necessária”.

“O Congresso Nacional continuará aberto às vozes das ruas e recolherá todos os sentimentos das manifestações a fim de encaminhar soluções no que lhe couber, como não poderia ser diferente em um ambiente democrático”, diz a nota.

Enquanto isso, o presidente em exercício da Câmara e vice-presidente do Congresso, deputado André Vargas (PT-PR), está reunido com o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz. Vargas também divulgou nota em que diz que está acompanhando do gabinete do governador todos os acontecimentos no Congresso e solicitou o reforço de força policial para evitar possível depredação do Palácio do Congresso Nacional.

“O presidente entende ser legítima toda a forma de manifestação democrática. No entanto, sua maior preocupação é garantir a segurança dos manifestantes, dos servidores e do patrimônio público”, diz a nota divulgada pela assessoria de comunicação da Câmara.

O presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), bem como a maioria dos líderes partidários, está em viagem à Rússia. A assessoria de Henrique informou que ele está acompanhando toda a manifestação e está preocupado com a integridade dos manifestantes, dos servidores e do patrimônio da Casa.

Neste momento, a maior parte dos manifestantes já se dispersou da frente do Congresso Nacional. No entanto, um grupo ainda permanece na chapelaria da Casa e em frente à entrada do Salão Nobre ameaçando invadir. Ao todo, 620 policiais militares, além da Polícia Legislativa, fazem a proteção das dependências do Parlamento.