Ideli condena onda de violência em SP, mas diz: 'manifestações são legítimas'

Ministra pede que estados e municípios reduzam impostos que incidem sobre custo da passagem

Responsável pela relação entre a Presidência da República com estados e municípios, a ministra Ideli Salvatti (Relações Institucionais) condenou nesta sexta-feira a onda de violência nos protestos contra a alta da tarifa de ônibus em São Paulo. Para ela, as 'manifestações são legítimas' e cobrou, de modo geral, de estados e municípios que reduzam impostos que incidem sobre custo da passagem.

“Em hipótese alguma podemos admitir a violência. Nem dos manifestantes, como depredação, e nem da Polícia Militar. Por isso que já houve manifestação de excessos da própria repressão. E é de fundamental importância que a gente possa encontrar soluções mais amplas do que essas que estão sendo dadas”, afirmou a ministra em café da manhã com jornalistas que cobrem a Presidência.

Segundo Ideli, o governo federal já fez sua parte ao editar uma medida provisória (MP) que desonera o transporte público. “No caso de São Paulo, o reajuste foi de R$ 0,20 em decorrência da MP, senão teria sido maior”, disse. Ela acrescentou que projetos em tramitação no Congresso Nacional tratam de redução de impostos estaduais e municipais para o setor, mas alegou que sua aprovação dependerá dos parlamentares.

“O transporte coletivo é um problema real e concreto da população”, disse Ideli. “Ele é caro, é insuficiente, tem pessoas que levam três ou quatro horas para ir ou voltar”.