Justiça determina nova perícia média em assassino de Glauco

Em 2010, Cadu, sob efeito de drogas, matou a tiros Glauco e Raoni em Osasco, na Igreja Céu de Maria, fundada pelo cartunista nos anos 90 e que segue os rituais do Santo Daime. Ele foi diagnosticado como portador de transtorno mental (esquizofrenia), considerado não responsável por seus atos, e, por isso, a Justiça determinou que ele cumprisse medida de segurança de internação compulsória por pelo menos três anos, cujo prazo mínimo terminou em 13 de março.

Transferência

Desde outubro do ano passado, Cadu deixou o manicômio judiciário onde estava preso, na Grande Curitiba (PR), e passou a receber tratamento na Clínica de Repouso de Goiânia, localizada no Setor Oeste. A Justiça acatou um pedido de transferência feito pela família, e ele passou a ser acompanhado pelo Paili, uma parceria do governo de Goiás com o Ministério Público e Tribunal de Justiça goianos.

No entanto, Cadu ficou poucos dias nesta clínica e foi transferido para uma outra unidade da rede do Paili. "A família pediu que nós não informássemos onde ele está agora. Eticamente, estamos cumprindo esta solicitação", disse a coordenadora do programa, Maria Aparecida Diniz.