Eduardo Campos critica centralização da gestão portuária em MP

O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, em audiência pública da comissão mista que analisa a MP do Portos (595/12), ressaltou há pouco a importância do Porto de Suape, localizado naquele estado, para economia da Região Nordeste. Ao contrário dos representantes da Bahia e do Rio Grande do Sul, que não criticaram a centralização da gestão portuária no governo federal, Campos defendeu tratamento diferenciado para Pernambuco, especialmente Suape.

“Não vejo inconveniência no fato de o governo federal opinar sobre os projetos, por meio da Secretaria Nacional de Portos, como prevê a medida provisória, mas entendo que deve ser mantida a autonomia dos estados em propor os projetos regionais”, declarou Campos.

Segundo o governador, Pernambuco tem dois portos sob gestão estadual e as mudanças propostas pela MP trariam prejuízos para os atuais arrendatários que pagaram pela concessão e fizeram investimentos “Só em Suape, existem 105 empresas operando, com uma previsão de movimentação de 90 milhões de toneladas em 2030”, afirmou Campos. “Não temos governador ofendendo a autonomia da Federação. Mas defendemos a autonomia até por saber dos problemas que a União teve fazendo a gestão de companhias Docas”, completou. A reunião ocorre no Plenário 2 da ala Nilo Coelho, no Senado.