BA: Emiliana é nova prefeita de Camamu após eleição suplementar

Camamu - A cidade de Camamu, no baixo-sul baiano, elegeu neste domingo Emiliana de Zequinha da Mata (PP) como nova prefeita do município. Esta foi uma das eleições suplementares realizadas no Brasil no domingo depois de haver anulação dos pleitos originalmente realizados no último mês de outubro. 

Os partidários da pepista já comemoravam o resultado na apuração preliminar feita pelo comitê de campanha por volta de 17h30. Entretanto, o Tribunal Regional Eleitoral ainda demorou cerca de duas horas para apurar totalmente os votos na cidade. Oficialmente, Emiliana foi eleita com 48,55% de votos válidos. Ela é irmã do ex-prefeito Zequinha da Mata, que declarou que a vitória da nova prefeita é obra do esforço de seu grupo político, que continuará o trabalho que vinha sendo feito anos atrás. 

Emiliana agradeceu aos eleitores pela confiança depositada e lembrou que está já é a segunda vez que ela é eleita prefeita da cidade. Em outubro, o pleito cancelado pela Justiça Eleitoral a apontou como vencedora com cerca de 36% dos votos. "A campanha foi boa e eu fui sempre bem recebida por onde passei. Minha primeira ação será fazer a Saúde em Camamu, pois aqui ela não existe", disse, em entrevista ao Terra. 

A nova prefeita rejeitou acusações de que tenha comprado votos e alegou que a campanha foi feita "com o amor" dos partidários. O irmão, por sua vez, disse que os cabos eleitorais trabalharam como voluntários e que isto afastaria qualquer possibilidade de haver compra de votos na campanha, que durou um mês. Zequinha da Mata, porém, evitou falar sobre os gastos de campanha e disse que estes ainda serão calculados. 

No ano passado, a Justiça rejeitou as candidaturas de Américo José da Silva (PSD) e Ioná Queiroz Nascimento (PT), respectivamente segundo e terceiro colocados na eleição, usando como argumento a Lei da Ficha Limpa. Como a soma dos votos destes candidatos - considerados agora inelegíveis - era de 53%, o pleito foi declarado inválido e uma nova eleição foi marcada. Américo da Silva indicou Noélia Nascimento (PRP) para concorrer em seu nome, enquanto Ioná escolheu Luiz da Luz (PSB) como representante do grupo.

Eleição em Sidrolândia (MS)

Em Sidrolândia, a 300 quilômetros de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, o candidato Ari Basso (PSDB) foi eleito com 57,44% dos votos válidos. Ele concorria com Acelino Cristaldo (PMDB).

Enelvo Felini (PSDB), prefeito eleito de Sidrolândia em outubro de 2012, teve o registro cassado por ter aplicado índices inferiores aos 60%, determinados em lei do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).