Lula cobra moralização e defende reforma política no Brasil

O Hotel Oásis Atlântico, na praia de Iracema, em Fortaleza, foi o primeiro palco a receber o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, lideranças do PT e dos partidos da base aliada, que se reuniram para debater as ações do partido nos últimos dez anos. A capital cearense encabeçou uma lista de dez cidades brasileiras que sediarão o seminário 'O Decênio que Mudou o Brasil'. "Duvido que alguém tenha feito nesse País o que fizemos em prol da participação democrática da sociedade", destacou Lula.

O ex-presidente encerrou o seminário. Lula criticou as campanhas políticas milionárias e defendeu a aplicação de reforma política no País. "Somos seres humanos e cometemos erros. Quem errou tem que ser julgado e até punido. Mas não vamos permitir que joguem em cima de nós a brecha que carregaram a vida inteira no jeito de fazer política no Brasil",  afirmou. 

Em tom de brincadeira, Lula comentou sobre a reeleição de Dilma Rousseff. "A política é uma desgraça, vicia. Quando convidei a baixinha, os olhinhos dela brilharam. Esse brilho não apaga mais, porque temos consciência do que estamos fazendo nesse País. Eles não sabem do que são capazes", comentou.

O presidente do partido, Ruy Lima, foi o primeiro a discursar no encontro. Segundo ele, o seminário visa a rememorar as ações do PT desde 2003. "Não queremos fazer propaganda, mas é importante que a população assimile o conhecimento pleno dessas ações", afirmou. 

Ruy aproveitou ainda para alfinetar o senador Aécio Neves (PSDB-MG), que na última terça-feira criticou o governo por antecipar o calendário eleitoral do País. "Durante discurso no Congresso, um pretenso candidato não se lembrou, uma vez se quer, da palavra 'povo'. Como um político não se lembra da palavra povo, se é o povo que detém a soberania do País?", questionou. 

O líder do PMDB no Senado, Eunício Oliveira, declarou total apoio à reeleição de Dilma Rousseff. "O nosso partido é parte do governo do PT", pontuou.  Para o líder do PT na Câmara Federal, José Guimarães, a legenda está deixando para a política nacional "o legado de um partido de esquerda que consolidou uma rede de políticas públicas jamais vista no Brasil".

Para o líder do governo no Congresso Nacional, senador José Pimentel (PT-CE), foi graças ao governo do PT que o Brasil se tornou a sexta potência econômica do planeta. "Além disso, essa é a primeira vez que as nossas centrais sindicais registram pleno emprego no País", disse.

Márcio Pochmann, presidente da Fundação Perseu Abramo, salientou que o PT conseguiu associar "crescimento econômico à distribuição de renda" no Brasil. Ele coordenou as falas dos presentes e anunciou o discurso da ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campelo. "O PT fez a maior busca ativa da população pobre do Brasil. Cerca de 13 milhões de famílias recebem o Bolsa Família, quase um quarto da população brasileira. Isso se soma a outros milhões de brasileiros que beneficiam de programas de transferência de renda", destacou a ministra. 

Tereza salientou ainda que foi durante o governo do PT que a renda do brasileiro cresceu. "Antes, só a dos mais ricos aumentava. Além disso, o PT conseguiu reduzir a mortalidade infantil em 40% no Nordeste", disse.

Cid Gomes é recebido com vaias

O governador do Ceará Cid Gomes (PSB) e o prefeito Roberto Cláudio (PSB) foram recebidos pelo público presente ao seminário com vaias. Cid declarou total apoio à reeleição da presidente. Para ele, o PSB não deve ter candidatura própria, mas investir em compor a chapa de reeleição de Dilma.

"Há motivos para comemorarmos hoje. O PT conseguiu em dez anos extinguir a miséria absoluta de um País. Além disso, o Brasil vive hoje com a menor taxa de juros de todos os tempos. Nós somos partícipes do governo do PT", disse.

A ex-prefeita de Fortaleza Luizianne Lins, por sua vez, foi muito aplaudida pelos companheiros do partido. Antes de se pronunciar, ela conversou com os jornalistas e alfinetou Cid Gomes. Luizianne disse que ter um dia acreditado no grupo de Cid foi "o maior erro que cometi na política até hoje". Durante seu discurso, a presidente do PT estadual definiu como "fundamental" a reeleição de Dilma à Presidência. O prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio, não se manifestou durante o encontro.