Julio Campos (DEM-MT) é denunciado ao STF por homicídio qualificado

Crimes teriam sido cometidos por causa de disputa de terras

O Ministério Público Federal ofereceu denúncia, nesta última quinta-feira (24), no Supremo Tribunal Federal, contra o deputado federal Júlio Campos (DEM-MT), indiciado por homicídio qualificado em inquérito (Inq 3162) aberto em abril de 2011 no foro especial (por prerrogativa de função) do Supremo. O relator do inquérito, ministro Marco Aurélio, deverá apreciar a denúncia que – se acolhida pelo plenário do tribunal – será transformada em ação penal.

De acordo com a denúncia, o parlamentar teria sido mandante dos assassinatos, em abril de 2004, no Guarujá (SP), do empresário Antônio Ribeiro Filho e do geólogo húngaro Nicolau Ladislau Ervin Haraly, em conseqüência de uma disputa de terras com incidência de pedras preciosas situadas em Mato Grosso. Os assassinatos teriam sido encomendados para fins de ocultar a transferência da propriedade do empresário para dois “laranjas” de Campos.

Além de deputado federal, Júlio Campos foi governador do seu estado, senador (1991-97), prefeito de Várzea Grande e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado. Ele sempre negou qualquer envolvimento no caso.