PR: 'não achei que ele teria coragem', diz vítima de estupro sobre ex

A enfermeira vítima de estupro coletivo e tentativa de homicídio em Curitiba disse que ainda não sabe como será seu futuro depois de todo o episódio. Ela foi agredida e violentada sexualmente por três homens - um adulto e dois adolescentes -, contratados pelo ex-marido para cometer os crimes.

Outros três, o ex-marido e mais dois homens que ajudaram a organizar a ação, foram presos nesta quarta-feira por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Curitiba. "Eu ainda não tive tempo de absorver isto tudo. Eu não sei dizer (sobre o que será daqui para frente). É muito triste isto tudo. Também não queria isto para ele. Todos estão muito abalados", comentou a vítima. 

Ela esteve na delegacia hoje e conversou rapidamente com os profissionais de imprensa. A enfermeira relatou que toda a experiência foi muito traumática. A vítima contou que em toda a ação foi ameaçada por uma faca e que os homens que invadiram a casa dela alternavam entre violentá-lá sexualmente e agredir o namorado dela, que estava amarrado dentro do banheiro, próximo de onde a vítima estava. "Eles começaram a revirar a casa. Pouco antes da saída deles, o mais agressivo dos três me deu três marteladas na cabeça. Eu fiquei inconsciente e depois descobri que foram mais marteladas", revelou.

A vítima disse tinha uma relação tranquila com o ex-marido durante o casamento, que durou 17 anos, e com quem teve seus filhos. As brigas que ocorriam foram consideradas normais pela enfermeira. Os desentendimentos maiores passaram a acontecer por causa de uma situação financeira delicada, quando o casal decidiu pela separação.

Desde então, de acordo com a enfermeira, o ex-marido fez algumas tentativas de reconciliação, mas sem sucesso. Nesse período, ela teve a casa invadida e o carro riscado e queimado, além de furos no pneu. "Eu achava que até então era a capacidade que ele tinha. Até aí. Não achei que teria esta coragem", afirmou a vítima, que ressaltou que ficou abalada quando descobriu que foi o ex-marido que contratou os bandidos para estuprá-lá e matá-lá.