Governo nega preferência para eleição na Câmara e no Senado

Responsável pela articulação política do Planalto, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, não admite que Renan Calheiros (PMDB-AL) e Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) tenham o apoio do Executivo para presidir as presidências do Senado e da Câmara dos Deputados, respectivamente. Segundo a ministra, o Planalto apenas acompanha o desenrolar da decisão e a escolha dos parlamentares deve ser “soberana”.

“A deliberação de presidência e Mesa é uma deliberação autônoma, soberana do Congresso Nacional, e nós apenas estamos acompanhando e respeitaremos como sempre a deliberação soberana dos deputados e senadores”, disse a ministra. Indagada sobre a postura do governo para o comando das casas, Ideli garantiu que a Presidência “não tem preferência” e que espera que o nome escolhido “possa continuar tendo esta relação produtiva, benéfica para o País, que nós tivemos ao longo desses dois anos”.

A ministra também evitou atrito com o PMDB, maior partido aliado, e não criticou a possibilidade de a legenda deter o segundo e o terceiro cargo na linha sucessória. “Meus queridos, o PMDB é vice-presidente da República. O PMDB integra o governo em vários ministérios. Nós temos a convicção de que, da mesma forma como tivemos dois bons anos de relação, 2011, 2012, produtivos, com aprovações importantes, acredito que vamos ter tranquilidade para continuar (a relação)”, afirmou a ministra.