Helicóptero que caiu em SP estava a serviço da prefeitura 

A prefeitura de São Paulo confirmou nesta segunda-feira que o helicóptero que caiu por volta das 12h40 no Jaraguá, na região noroeste, estava a serviço do Executivo municipal. De acordo com a assessoria, a aeronave foi solicitada para um sobrevoo de duas horas para fiscalização, acompanhamento de áreas e vistoria de parques.

Quatro pessoas estavam no helicóptero no momento do acidente. O piloto, Marcelo Stella de Melo Ribeiro, 29 anos, era funcionário da empresa Helimarte, responsável pela aeronave, e morreu na queda. As outras três vítimas eram funcionárias da Secretaria Municipal do Verde e do Meio Ambiente: Ramiro Levy (Depave-1), Fabiana Bispo Barbosa (Depave-5) e Idevanir Souza (Comunicação) foram socorridos pelo Corpo de Bombeiros e levados ao Hospital das Clínicas e ao Hospital São Camilo.

Segundo a prefeitura, o helicóptero decolou do Campo de Marte, na zona norte da capital, e os servidores embarcaram no heliponto da sede da Prefeitura às 12h. A aeronave tinha previsão de percorrer as regiões de Perus, Taipas, Brasilândia, Bananal, Bispo, Tremembé, Santa Maria, Engordador, Barrocada, Pinheirinho d'Água e Trote.

O poder municipal informou ainda que a empresa Helimarte é contratada para atender as secretarias e as subprefeituras e disponibiliza dois helicópteros (um deles de reserva). Os voos decolam e pousam no heliponto do Edifício Matarazzo e geralmente são utilizados para vistorias de invasões, parques, áreas de risco e obras. O uso depende de solicitação à Secretaria de Planejamento, que coordena a atividade com a assessoria militar.

Na comunidade onde caiu a aeronave, houve registro também de duas vítimas com ferimentos leves, atendidas no Hospital de Taipas. Cinco imóveis foram interditados. Atenderam a ocorrência o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar. A Defesa Civil e o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) estavam no local.