ACM Neto curte festival após maratona na Lavagem do Bonfim

Já é sabido que o novo prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), é dado à diversão. Mas até para um baladeiro, ele teve um dia puxado. Amanheceu na Cidade Baixa para percorrer os 7 quilômetros da Igreja de Nossa Senhora da Conceição da Praia à Igreja do Bonfim na tradicional lavagem, e terminou a noite curtindo o show de Ivete Sangalo no Festival de Verão.

A Lavagem do Bonfim é, por tradição, uma grande vitrine e um termômetro de popularidade para os políticos baianos. Tanto que, nos últimos anos, o ex-prefeito João Henrique (PP) sempre dava um jeito de sumir da cidade na data. Desta vez, até o governador Jaques Wagner (PT), que também não está numa fase de muito "amor" com os eleitores, providenciou uma viagem para a China na data. Por causa disso, o democrata reinou sozinho e ficou literalmente "nos braços do povo", que o carregou em um dos trechos do cortejo. Ele garante que as grandes manifestações de afeto não foram pessoais. "É um espelho do momento da cidade, que estava se sentindo órfã e espera uma grande administração. Isso só aumenta a minha responsabilidade", ponderou.

Responsabilidade essa que vinha sendo cobrada pela população nas redes sociais nos últimos dias, no que diz respeito ao próprio Festival de Verão, promovido por sua família. Nos anos anteriores, o evento, o maior do País no gênero, literalmente travava o trânsito da cidade. Sob sua orientação, o secretário de Urbanismo e Transporte, José Carlos Aleluia (DEM), afirmou que não seria mais permitida a desorganização na avenida Paralela durante eventos noturnos.

A promessa foi cumprida e, pela primeira vez, o acesso à festa foi tranquilo e o estacionamento público bem organizado. Para completar, uma blitz da Lei Seca esperava os motoristas na saída do Parque de Exposições, onde acontece o evento. "Eu fui extremamente rígido, até porque a minha responsabilidade é grande. Quero deixar bem claro que serei impessoal e imparcial, não importa quem está fazendo o evento", reforçou.

Também no festival, o cacique do PMDB baiano e vice-presidente de pessoa jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima, comemorou a participação da coligação na Festa do Bonfim. "É o sinal de que ficamos do lado certo", comemorou. O ex-deputado, que tem andado nos bastidores da política local, negou qualquer rumor de problemas com ACM Neto, e criticou a declaração de seu colega de partido, Arthur Maia, de que a sigla não deveria estar presente na administração do DEM. "É direito dele, mas há um erro de conceito. Quem perde a eleição fica na oposição, quem ganha governa", afirmou. E provocou: "quando apoiamos Wagner ele quis fazer indicações para a Embasa. É a ordem natural das coisas".