BNDES libera R$ 1,35 bi para projeto de despoluição do Tietê

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou nesta quinta-feira o empréstimo de R$ 1,35 bilhão para financiar a terceira fase do Projeto Tietê. A previsão é de que nos próximos três anos o volume de tratamento do rio Tietê chegue a 84% na Região Metropolitana de São Paulo. 

O programa de despoluição, iniciado em 1992, consumiu US$ 1,6 bilhão (pouco mais de R$ 3 bi) nas duas etapas anteriores. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Além da ampliação do volume de tratamento dos dejetos despejados no rio, está previsto o aumento da cobertura de serviços de coleta do esgoto - dos 84% atuais para 87%. A meta do projeto é de que o rio esteja completamente despoluído até 2020. 

Nas duas décadas desde a implantação do programa, o tratamento do esgoto que chega ao rio passou de 40% para 70%. De acordo com o BNDES, a terceira etapa prevê a colocação de coletores e interceptores, redes coletoras e 200 mil ligações domiciliares de esgoto. Além disso, o cronograma prevê a instalação de seis estações elevatórias de esgoto.