PRF atribui queda de mortes no Ano-Novo a Lei Seca mais rígida

Com a nova Lei Seca em vigor, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) aumentou o número de testes de bafômetro realizados nas rodovias federais. Entre 21 de dezembro e 2 de janeiro, 70.855 motoristas assopraram os aparelhos. Número 181% maior que o registrado no período registrado no ano anterior, em 2011. O aperto na fiscalização resultou em queda no número de mortos e feridos, segundo a corporação. Apesar de um aumento na quantidade de acidentes, a PRF verificou no Ano-Novo - na operação realizada entre 28 de dezembro e 2 de janeiro - uma redução de 12% nas mortes para 126 casos e de 28% no índice de feridos, que marcou 1.698.

De acordo com a diretora-geral da PRF, Maria Alice Nascimento Souza, o investimento realizado no aumento do número de agentes e na logística, que concentrou a fiscalização em trechos com registros de mais acidentes, contribuíram para a redução no número de fatalidades. No entanto, o rigor da nova legislação foi o fator determinante para que os motoristas se conscientizassem mais do risco nas estradas.

“Utilizamos os mesmos equipamentos que tínhamos na outra operação. Porém tínhamos uma média de 53% de motoristas que se recusavam a fazer o teste do bafômetro. Como agora podemos utilizar novas provas de detecção de embriaguez, o cerco ficou mais apertado para os motoristas infratores”, analisa a diretora-geral.

Dos 70.855 testes aplicados, 1.716 resultaram em multas e 723 acabaram em prisão de motoristas alcoolizados. Nos  primeiros 11 meses de 2012, quando ainda era possível recusar a assoprar o bafômetro e não ser preso, 29% dos motoristas reprovados no teste eram detidos. Agora, o índice subiu para 42%.

De acordo com a PRF, durante o período da operação, um motorista soprou o bafômetro a cada 16 segundos, em média, nas rodovias federais. A cada 11 minutos, um motorista embriagado foi flagrado, multado e retirado de circulação. E a cada hora quatro motoristas foram presos pelo crime de embriaguez ao volante.

A maior parte dos bafômetros foi aplicada no Paraná com 12.022 motoristas testados. Em seguida ficaram Santa Catarina, com 7.513, e Rio de janeiro, com 7.103. Minas Gerais, que tem a maior malha rodoviária do País, ficou em quarto lugar (6.485), seguido pelo Espírito Santo (3.862).

Os resultados práticos seguem a lógica dos testes. O Paraná registrou o maior número de multas, com 327 autuações e 123 prisões. Santa Catarina teve 107 motoristas multados e 64 presos. Minas Gerais, com 136 multas, apresentou o terceiro maior número de motoristas presos: 47. 

Minas e Bahia lideram números

Com menos aparelhos, as estradas mineiras também apresentaram o maior número de acidentes. Durante toda a operação fim de ano, realizada entre 21 de dezembro de 2012 e 2 de janeiro de 2013, houve 1.087 acidentes, com 640 feridos e 56 mortos. Na segunda colocação do ranking federal, a Bahia registrou 373 acidentes, com 250 feridos e 50 mortos.

No total, foram registrados 7.040 acidentes, uma queda de 18% ao período anterior, entre 2011 e 2012. O número de feridos apontou redução de 20%, chegando a 4.171 e o número de mortes cresceu 3%, marcando 392 óbitos.