Morto após discussão por R$ 7, universitário é sepultado em SP

Foi sepultado nesta quarta-feira, às 8h30, no Cemitério da Saudade, em Campinas (SP), o corpo do universitário Mário dos Santos Sampaio, 22 anos. O jovem foi morto a facadas na noite de segunda-feira pelo filho do proprietário do restaurante Casa Grande, no Guarujá, litoral sul de São Paulo. Ele chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) mas não resistiu aos ferimentos. O estudante de administração morava em Campinas e estava de férias com amigos na cidade litorânea.

Segundo a namorada e dois amigos, que afirmaram ter presenciado o crime, a agressão ocorreu por causa da diferença de R$ 7 no preço da refeição. O publicitário Rauany Neves Farias disse que o valor da refeição divulgado pelo estabelecimento era R$ 12,99, mas na hora de pagar a conta foi cobrado R$ 19,99.

Segundo ele, o universitário ficou indignado com a alteração do valor da comida - ele relatou que quando todos chegaram, o preço estampado nas placas fixadas fora e dentro do restaurante era R$ 12,99, mas foi alterado durante a refeição. Farias contou que Sampaio reclamou da mudança de preço e por causa disso houve uma discussão com o caixa, que chamou o gerente.

Os amigos do universitário contaram à polícia que o filho do dono do restaurante ameaçou o grupo, dizendo que a questão seria "resolvida do lado de fora" do estabelecimento. Em seguida, ainda segundo o relato, três garçons começaram a agredir os amigos assim que um deles pegou o celular para chamar a polícia. O filho do dono do restaurante, então, foi até a cozinha e pegou uma faca, desferiu três golpes nas costas de Sampaio e fugiu.

Uma viatura da Policia Militar esteve no local, mas nem o filho do dono do restaurante nem a faca usada no crime foram localizados. Os garçons citados não se apresentaram á polícia. Ninguém foi preso. O caso foi registrado no plantão policial e a Polícia Civil do Guarujá vai abrir inquérito para apurar.