Artur Neto diz que cortará 30% dos comissionados em Manaus

O novo prefeito de Manaus, Artur Virgílio Neto (PSDB), assumiu o Executivo municipal na terça-feira com a proposta de lidar com o déficit deixado pelo pedetista Amazonino Mendes, segundo o tucano. Em entrevista à Folha de S. Paulo, Neto diz que reduzirá secretarias e cortará 30% dos cargos comissionados, mas se recusa a indicar números.

O tucano também disse que por enquanto a tarifa do ônibus não vai subir, e que não trabalhará "sob pressão". O transporte coletivo também foi pauta no viés da Copa do Mundo de 2014. Neto reiterou que o BRT não ficará pronto até o Mundial. "Se a própria presidente Dilma Rousseff reconhece que não dá, não serei eu a teimar", afirmou o prefeito. Ele ainda disse que só fará feriado em dias de jogos "se tiver muita necessidade mesmo".