Saio de "cabeça erguida", diz Kassab ao se despedir da prefeitura

Após seis anos exercendo o cargo de prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD) se despediu da função nesta terça-feira e, em discurso, afirmou sentir "um vazio estranho", mas sair com "a cabeça erguida". Kassab transmitiu o cargo a Fernando Haddad (PT), que tomou posse em duas solenidades: uma na Câmara dos Vereadores e outra no Palácio do Anhangabaú, sede da prefeitura, no centro da capital paulista.

"Há três dias não venho à prefeitura, não assino o ponto. (...) Mas aqui e agora ainda estou um pouco na 'banguela', muito ligado. Depois de quatro anos mergulhado no trabalho, confesso que agora começo a sentir um vazio estranho, perdido em memórias, e digo para mim mesmo: 'calma, Kassab', isso passará", afirmou. "Eu e minha equipe saímos todos com a cabeça erguida. Temos a consciência de dever cumprido", completou, em discurso.

Durante cerca de 15 minutos, Kassab falou sobre os projetos que concretizou em sua gestão, citando os conjuntos habitacionais que implantou, e os investimentos na área de educação, segundo ele, "seis vezes maiores que em 2004", quando ele e José Serra (PSDB), então prefeito e lembrado por Kassab na cerimônia, assumiram os cargos.

Por fim, Kassab lembrou dos "embates" que travou, mas que não conseguiu solucionar, como a briga pela renegociação da dívida do município com a União e o enfrentamento do crack, cujos desdobramentos foram tema de sérias críticas a sua gestão.

"Recordo a cena de outro embate que travamos, e que o prefeito Haddad certamente enfrentará, a luta contra o crack. Fui testemunha das dificuldades de assistentes sociais tentando convencer dependentes químicos da necessidade de se recolher para tratamento. (...) Lembro ainda do frio, de 3°C, 4°C na madrugada na cidade, quando eu e minha vice (Alda Marco Antônio) acompanhamos o recolhimento das pessoas. Fizemos um trabalho que nos orgulha nessa área", disse.

Ao final, Kassab cumprimentou Haddad, a vice-prefeita, Nádia Campeão (PCdoB), e a primeira-dama, Ana Estela, mas deixou a cerimônia pelos fundos e sem falar com a imprensa. O ex-prefeito agora deve dedicar-se à criação de um curso sobre gestão de cidades na Universidade de São Paulo (USP), que o convidou para tocar o projeto.