Eleições municipais suplementares começam em Guarapari, em fevereiro

Enquanto quase todos os prefeitos eleitos no pleito de outubro em 5.568 cidades tomam posse nesta terça-feira (1º), para um mandato de quatro anos, começam já a partir de 3 fevereiro próximo as eleições nos municípios em que candidatos que obtiveram mais de 50% dos votos válidos, mas que tiveram seus registros indeferidos pela Justiça eleitoral. A primeira eleição suplementar foi confirmada pelo Tribunal Superior Eleitoral para o primeiro domingo de fevereiro no município de Guarapari, no Espírito Santo.

Um mês depois, em março, serão realizadas novas eleições municipais nas seguintes cidades: Campo Erê, Criciúma, Tangará e Balneário Rincão, em Santa Catarina; Bonito, em Mato Grosso do Sul; Camamu, na Bahia. Nestes municípios, os presidentes das câmara dos vereadores assumem as prefeituras até a posse do novo chefe do Executivo a ser eleito.

Gurapari

O candidato que conquistou mais votos nas eleições de outubro em Guarapari, Edson Magalhães (PPS), foi impedido de tomar posse porque concorria a um terceiro mandato consecutivo, conforme entendimento da Justiça Eleitoral. Em 2006, ele era vice-prefeito e assumiu a administração da cidade após a cassação do então prefeito. Eleito em 2008, conseguiu se reeleger em 2012, mas sua posse foi barrada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES). Fora da disputa, ele já declarou que vai apoiar seu vice, Orly Gomes (DEM). 

Além destas eleições suplementares, já estão previstas mais duas para o dia 7 de abril, nos municípios mineiros de Biquinhas e São João do Paraíso.