Jornal: "ponho as duas mãos no fogo por Lula", diz Haddad

Fernando Haddad, prefeito eleito de São Paulo e próximo de tomar posse do cargo, afirmou, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo desta segunda-feira, que põe "as duas mãos no fogo" pelo também petista e ex-presidente Lula em relação ao episódio do mensalão - o empresário Marcos Valério (condenado pelo STF) mudou sua versão sobre o caso e declarou que o ex-presidente deu "ok" para as operações que originaram o escândalo. Haddad disse que tem por Lula um apreço "incomensurável", e que conhece o seu método de trabalho, sua dedicação e compromisso pelo País. Ainda sobre o mensalão, Haddad afirmou que o julgamento "estará imerso em controvérsia", uma vez que "houve uma mudança de jurisprudência radical para a condenação dos acusados".

O petista disse ainda que vê uma "onda conservadora impressionante" no Brasil, tendo havido, inclusive no exterior, uma "guinada à direita, ao conservadorismo". Haddad, que toma posse da prefeitura da maior cidade do País em menos de 48 horas, declarou que tem muita coisa para pensar, e que "na cadeira de prefeito, a coisa deslancha". O petista também descartou uma possível candidatura presidencial em 2018, destacando que o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), deve disputar o cargo.