Dilma desfila por Paris e não comenta denúncia contra Lula

A presidente Dilma Rousseff realizou na manhã desta terça-feira o seu primeiro compromisso oficial da visita de dois dias à capital francesa: recebeu honras militares no Palácio dos Inválidos e, do local, seguiu em desfile em carro oficial pela famosa avenida Champs Elysées, reservada para as comemorações de maior prestígio pelos franceses. Ela chegou ontem de madrugada em Paris, onde é a segunda governante a fazer uma visita de Estado ao presidente socialista François Hollande, eleito em maio. O primeiro foi o premier italiano, Mario Monti.

Séria, Dilma entrou no palácio às 11h, acompanhada do ministro francês da Defesa, Jean-Yves Le Drian. A orquestra militar tocou o hino nacional brasileiro e em seguida, o francês. Dilma cumprimentou a comitiva presidencial, composta por cinco ministros – o da Defesa, Celso Amorim; das Relações Exteriores, Antonio Patriota; da Educação, Aloizio Mercadante; do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel, além da secretária da Comunicação, Helena Chagas. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, desembarca em Paris hoje.

>> PPS pede abertura imediata de inquérito contra ex-presidente Lula

>> Valério diz que mensalão pagou despesas pessoais de Lula

No Palácio dos Inválidos, a presidente não se dirigiu à imprensa – portanto não comentou informações publicadas hoje no jornal O Estado de S. Paulo, segundo as quais o empresário Marcos Valério teria afirmado, em depoimento à Procuradoria-Geral da República, que além de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ter concordado com os pagamentos para deputados da base aliada, no escândalo conhecido como mensalão, o dinheiro do esquema teria ajudado a pagar despesas pessoais do ex-presidente petista. 

Dilma embarcou em um carro oficial e seguiu para um desfile público até a avenida Champs Elysées. As ruas do trajeto estavam decoradas com bandeiras da França e do Brasil, mas havia poucas pessoas nas ruas para acompanhar a passagem da presidente brasileira. Ela seguiu para a Assembleia Nacional francesa, onde se reuniu com o presidente do Legislativo, o deputado socialista Claude Bartolone.   

Lula, que também está na capital francesa para um evento que se inicia nesta tarde, não participou da homenagem. O nome do hotel onde ele está hospedado não foi divulgado, apesar dos pedidos à assessoria de imprensa do petista.  

Ontem, ele e a presidente almoçaram juntos no hotel Le Bristol, onde Dilma está hospedada. O conteúdo da conversa não foi divulgado, mas a reunião durou quase três horas. Lula entrou e saiu do estabelecimento por uma porta alternativa do hotel, e não pela principal, onde concentravam-se os jornalistas que acompanham a visita oficial da presidente. 

Nesta tarde, ao lado do presidente francês, Dilma vai inaugurar o Fórum pelo Progresso Social: o Crescimento como Saída da Crise, um evento organizado pelo Instituto Lula e a fundação Jean Jaurès. Em seguida, Dilma e Hollande reúnem no Palácio do Eliseu e depois responderão às perguntas da imprensa.   

Ainda fazem parte da comitiva brasileira a presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro, o senador Luiz Henrique da Silveira e o diretor-geral da Escola de Teatro Bolsoi do Brasil, Pavel Kazaryan.