Após denúncias de Valério, Dilma reitera apoio a Lula em Paris

Dilma falou em coletiva ao lado de François Hollande, no Palácio do Eliseu

A presidente Dilma Rousseff reiterou nesta terça-feira (11), em Paris, seu apoio ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ela comentou um depoimento feito pelo empresário Marcos Valério à Procuradoria-Geral da República, divulgado em reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, segundo o qual Lula concordaria com as operações de compra de votos de deputados pelo mensalão e teria se beneficiado do esquema para o pagamento de despesas pessoais.

"É sabida a minha admiração, o meu respeito e a minha amizade pelo presidente Lula. Eu repudio todas as tentativas, e essa não seria a primeira vez, de tentar destituí-lo da sua imensa carga de respeito que o povo brasileiro lhe tem", disse Dilma, durante coletiva de imprensa ao lado do colega francês, François Hollande, no Palácio do Eliseu, na capital francesa. "Eu acredito que essa é uma questão que eu devo responder no Brasil. Mas eu tenho que assinalar que eu considero lamentáveis essas tentativas de desgastar a imagem do presidente Lula."

"Imagem considerável"

A presidente destacou respeitar o antecessor pelo desenvolvimento promovido no País durante o seu governo, incluindo a redistribuição de renda, e pelas relações internacionais que o Brasil aprofundou nos anos de seu mandato. Situação incomum em coletivas de imprensa, ela foi aplaudida pela comitiva de seis ministros que acompanhavam as declarações, junto com mais uma dezena de assessores. Dilma realizou hoje a primeira etapa da visita de Estado de dois dias a Paris, onde foi recebida com honras militares.

Hollande também comentou os assuntos internos brasileiros, declarando que Lula "tem uma imagem considerável na França". "Ele defendeu princípios de justiça e solidariedade, promovendo um desenvolvimento econômico excepcional. Lula é visto como uma referência", afirmou o presidente francês.

O ex-presidente, que está em Paris para participar de uma conferência, não aceitou conversar com a imprensa para comentar as afirmações do depoimento de Valério. Lula participou da abertura do Fórum pelo Progresso Social: o Crescimento como Saída da Crise, em Paris, e ao ser procurado por repórteres, preferiu se calar.

Assessores do ex-presidente não permitiram a aproximação dos jornalistas. O Instituto Lula organiza o evento junto com a Fundação Jean Jaures e o petista deve se pronunciar amanhã no evento.  Ele chegou em Paris ontem, mas foi visto em público pela primeira vez apenas na hora da conferência.

>> Presidente do PT diz que denúncias são "mentiras envelhecidas