Dilma analisa nomes de um carioca, um mineiro e um capixaba para o STF

O carioca Benedito Gonçalves, a mineira Maria Elizabeth Guimarães Rocha e o capixaba Pedro Valls Feu Rosa estão entre os nomes que a presidente Dilma Rousseff está analisando com o objetivo de indicar para o Supremo Tribunal Federal. O nome escolhido por Dilma irá substituir o ex-presidente da Corte, Carlos Ayres Britto, que se aposentou no mês passado ao completar a idade-limite de 70 anos. Os três têm algo em comum: todos nasceram no mês de janeiro.

Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Benedito Gonçalves, nascido no Rio de Janeiro em 30 de janeiro de 1954, é juiz federal desde fevereiro de 1988 onde ingressou por meio de concurso público. Em 19 dezembro de 1998 foi promovido por merecimento para o Tribunal Regional Federal da 2ª Região, com jurisdição no Rio de Janeiro e Espírito Santo. Há quatro anos, foi nomeado pelo então presidente Lula para o Superior Tribunal de Justiça.

Bacharel em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), Maria Elizabeth Guimarães Teixeira Rocha nasceu em Belo Horizonte em 29 de janeiro e 1960, especializou-se em Direito Constitucional no ano de 1985 pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Procuradora Federal, aprovada por meio de concurso público realizado em maio de 1985, tendo obtido o 1º lugar na classificação. Foi nomeada a primeira ministra do Superior Tribunal Militar (STM) pelo então Presidente da República Luís Inácio Lula da Silva. Tomou posse no cargo no dia 27 de março de 2007.

O atual presidente do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, desembargador Pedro Valls Feu Rosa nasceu em Vitória (ES) em 9 de janeiro de 1966 e começou a vida jurídica como juiz de Direito, com exercício nas comarcas de Muqui, Barra de São Francisco, Cariacica, Vila Velha e Vitória. Instalou o primeiro " Juizado de Pequenas Causas " do Espírito Santo e é membro fundador da Escola de Direito Comunitário do Mercosul. Tem formação em Direito Comunitário pela Escola Nacional de Magistratura da França e idealizou os projetos "Justiça Volante" e "Justiça Sobre Rodas".