Mercadante defende o uso de royalties só na Educação

Pasta pode ter R$ 40 bilhões/ ano proveniente do petróleo

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, recomendou aos governantes das cidades e estados  produtores de petróleo para que utilizem maior fatia do dinheiro dos royalties da exploração do mineral na Educação. Segundo ele, deve-se evitar que esta 'riqueza' seja desperdiçada no 'inchaço da máquina pública ou em qualquer outro meio'.

"O petróleo é uma riqueza não renovável, portanto é preciso que nossa geração pense no futuro do país, que passa pela educação de qualidade", analisou. "As futuras gerações não terão acesso a essa riqueza, portanto, ela deve ir para o investimento estruturante, que é a educação".

Mercadante, que participou na manhã desta terça-feira (4/12) da comemoração do 80º aniversário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), calculou qual pode ser o orçamento da pasta que comanda caso seja aprovada a Medida Provisória 592/2012, que redistribui os royalties do petróleo e define sua destinação integral para a educação.

"Hoje o que se fala em relação aos royalties, se quantificarmos as participações especiais, o montante de investimento será da ordem de R$ 40 bilhões por ano. É uma riqueza muito expressiva que vai nos fazer crescer de forma rápida", avaliou o petista, que se mostrou confiante quanto a aprovação da MP em questão, que vincula integralmente os recursos dos royalties do petróleo, mas apenas de contratos assinados após 3 de dezembro deste ano à educação. "Temos chances reais de vencer esse debate e o governo vai se empenhar muito"

Legado dos eventos esportivos

Ele revelou, também, projetos de utilização dos equipamentos esportivos construídos para a Copa do Mundo de 2014 e para a Olimpíada de 2016. A ideia, segundo disse, é adaptar as instalações para a criação de um centro de excelência em esportes.

"Temos de pegar todo esse legado das Olimpíadas no Rio de Janeiro, quadras piscinas, estrutura e transformar em uma Universidade Olímpica, para formar atletas de elite e fazer pesquisa e ciência em esporte. Falo de medicina esportiva, fisioterapia, nutrição, psicologia", enumerou. "Enfim, há uma série de áreas conexas que são fundamentais hoje, tanto para difundir e estudar a prática do esporte, como para ter o alto desempenho. Já estamos dialogando com o prefeito e o governador"

Ex titular da pasta de Ciência e Tecnologia, o hoje ministro da Educação não esqueceu o antigo posto ao falar dos estádios construídos para 2014.

"Nos estádios da Copa defendo a utilização de algum espaço nestes locais para a construção de Museus de Ciência e Tecnologia. Assim, os pais vão levar os filhos pelo amor ao futebol, que se transformará em uma paixão pelo conhecimento", disse. "São áreas de fácil acesso e estacionamento, que poderiam ser utilizadas ao longo da semana por escolas".

A homenagem ao 80º aniversário do Manifesto dos Pioneiros da Educação Nova aconteceu durante um encontro do Fórum Permanente de Desenvolvimento Estratégico do Estado do Rio de Janeiro - Jornalista Roberto Marinho - quando foi firmado o Compromisso do Rio de Janeiro com a Educação e a Inovação. Na sessão foi apresentada a Carta Compromisso do Rio de Janeiro com uma escola sempre renovada.