Chuvas deixam em torno de 300 famílias desabrigadas no Tocantins

Os fortes temporais ocorridos no município de Araguaína (TO), a 368 km de Palmas, atingiram em torno de 300 famílias e deixaram 16 desabrigadas, em oito bairros da região periférica e central da cidade. As chuvas abriram crateras nas ruas e invadiram casas - algumas até desabaram. Além disso, lojas das principais avenidas ficaram alagadas.

Para os moradores, a cidade tem um crescimento desordenado e a solução para o problema, que já ocorreu outros anos, seria a construção de uma nova rede de drenagem. As chuvas também causaram prejuízos para motoristas e motociclistas que se arriscaram atravessar o mar de lama formado depois das tempestades.

O motociclista Fernando Almeida contou que sua moto caiu dentro de uma cratera de aproximadamente um metro e meio, aberta no meio de uma avenida. "A motocicleta ficou submersa no buraco, dois celulares que estavam comigo foram estragados, minha câmera fotográfica sofreu danos e a moto parou de funcionar", contou.

Apesar do problema ter ocorrido outros anos, o secretário de Obras do Município, Valmir Ribeiro, admite que na cidade não há infraestrutura adequada. "Falta dinheiro para regularizar a situação, muito dinheiro, e a situação ficará para a próxima administração resolver porque a atual já está encerrando", disse. Ele ressalta que deveria ter drenagem, pavimentação, urbanização e vários outros serviços para atender a demanda. Ribeiro justifica que nada foi solucionado antes porque o governo federal não liberou recursos para as obras.

A avenida Marginal Neblina, e os setores Morada do Sol II, Teresa Hilário e Raizal são os bairros mais afetados pelas chuvas. Conforme o secretário, a prefeitura está oferecendo suporte para as famílias que estão precisando de alojamento, e alimentação.

No entanto, os desabrigados, por enquanto, estão nas casas de familiares e amigos e estão contando com doações de terceiros. O governo do Estado enviou, no início da semana, ajuda às famílias. Equipes da Defesa Civil e da Secretaria Estadual da Infraestrutura (Seinfra) levarão cobertores, redes e 6 mil kg de alimentos.