Em São Paulo, quadrilha explode 3 caixas eletrônicos de bancos diferentes

Uma quadrilha explodiu três caixas eletrônicos de três diferentes bancos no centro de Sandovalina, no Pontal do Paranapanema (a 603 km a oeste de São Paulo). O grupo, composto por cerca de dez homens divididos em dois carros, conseguiu fugir do local levando todo dinheiro.

Simultâneas, as explosões atingiram caixas do Santander, Bradesco e da Caixa Econômica Federal, todos localizados na avenida João Borges Frias - uma das principais vias da cidade. De acordo com o delegado Luís Otávio Forti, o ataque dos ladrões ocorreu por volta de 2h30. "Foi quando a equipe da Polícia Militar que atuava no período estava em outro ponto da cidade atendendo a uma ocorrência. Os ladrões agiram com rapidez e utilizaram explosivos do tipo gel em emulsão, do mesmo produto da dinamite, utilizada em pedreiras. Colocaram nos terminais e explodiram os três caixas simultaneamente. Em seguida, fugiram do local e, durante a fuga, dispararam vários tiros em uma loja de conveniência instalada em anexo ao posto de revenda de combustível."

A quadrilha fugiu por uma estrada que liga o município à cidade de Teodoro Sampaio. Alavancas de ferro, ferramentas conhecidas como pé-de-cabra e pouco mais de R$ 300 em cédulas danificadas foram apreendidas no local. Várias capsulas de munição de calibres 9 mm e 38 foram encontradas no local dos disparos.

Um vigia que trabalhava próximo ao local contou que chegou a ver os carros com o bando fortemente armado. "Eles gritaram para que eu corresse para dentro e logo em seguida dispararam vários tiros."

A polícia ainda não conseguiu computar a quantia levada. "Foi muito dinheiro, já que esta é a data em que todos os trabalhadores recebem a primeira parcela do 13º salário e a maioria recebe pelos bancos atingidos. Assim dificulta a contabilidade da quantia levada de cada agência", concluiu o delegado Forti.

Além do dinheiro levado, a explosão também causou danos aos prédios dos três imóveis e chegou a abalar outras propriedades da vizinhança. Como a agência da Caixa Econômica Federal funciona em anexo ao prédio da Prefeitura e da Câmara de vereadores, as repartições do município também ficaram danificadas.

A Polícia Civil já instaurou inquérito e iniciou as investigações para identificar, localizar e prender os autores da ação criminosa.